Modelo 30


Na Modelo 30 – Rendimentos pagos ou colocados à disposição de não residentes entram os seguintes rendimentos desde que sujeitos a retenção:

TABELA II
TIPO DE RENDIMENTOS DE ACORDO COM A CONVENÇÃO
MODELO DA OCDE
(CAMPO 35 DO QUADRO 8)
TIPO RENDIMENTOS
06 Prediais
07 Prestações de serviços
08 Comissões
10 Dividendos
11 Juros ou rendimentos de aplicações de capitais
12 Royalties
13 Mais-Valias – Resgate de unidades de participação ou
liquidação de FII e FIM e liquidação de SII e SIM
14 Trabalho independente
15 Trabalho dependente
16 Percentagens de membros de órgãos sociais
17 Rendimentos de artistas ou desportistas
18 Pensões
22 Remunerações públicas
20 Subsídios pagos a estudantes ou estagiários
21 Outros rendimentos
23 Pensões públicas

Utilizadores deste blog


Caros leitores

Quase todos os dias aparecem nas estatisticas consultas efectuadas por algumas pessoas de paises fora de Portugal, inclusivé Estados Unidos e Japão. Alem de Angola, Brasil, Moçambique etc.

Como julgo tratar-se de um erro, apenas para meu esclarecimento, solicitava a essas pessoas, se for o caso de ser verdade, que me enviassem um mail para:

mario.rodrigues@mrcontabilidade.pt

Confirmando que visitam o blog e já agora se quiserem façam um comentário sobre o interesse do mesmo nesses países.

Taxonomias


Já certamente todos ouvimos falar das Taxonomias, que não são mais que códigos de ligação entre as contas da contabilidade e os campos da IES, que vão constar do ficheiro SAFT-PT (não da facturação mas da contabilidade) que o fisco mais tarde ou mais cedo vai começar a exigir o envio regular.

Trata-se de uma codificação difícil e trabalhosa que requer atenção e cuidado e que julgo só ser possível com a ajuda das softwarehouses.

O objectivo deste pequeno post é apenas o alerta para algum colega mais distraídos ou ocupado com outras coisas, pois dá a parecer que isto é apenas para Julho2017 mas na verdade é para já pois os lançamentos contabilísticos de Janeiro em diante já terão que ter esta codificação.