Etiquetas

,

PERGUNTA:
Já efectuei o desreconhecimento das antigas despesas de instalação e das respectivas amortizações acumuladas, em contrapartida da 56.
No entanto surgem-me duas dúvidas:
1 – No caso de ter havido a última amortização em 2009, que caiu na 66 (POC), devo apenas passar esse valor para a rubrica”outros gastos e perdas” no comparativo de 2009 (mantendo-se assim o mesmo R.L.E de 2009), na D.R. Ou devo fazer alguma coisa contabilisticamente???
2- No caso de em 2009, as despesas de instalação não estarem totalmente amortizadas, o saldo irá permanecer na 56. Existe algum tratamento a fazer a este saldo contabilistica/fiscalmente, tratando-se de Micro ou de PE? Uma vez que li opiniões que , no caso de PE, vamos saldando a 56, em contrapartida de Impostos Diferidos e incluídas no Mod 22, Q7.

 

RESPOSTA:

1º na comparação da DR deve ajustar a mesma ao SNC pelo que o RLE não vai ser igual ao que deu em POC, assim como o Balanço também não é igual.
Isto é apenas uma alteração no mapa não implica qualquer movimento contabilistico, até porque 2009 já está encerrado.
 
2º o saldo que fica relativo aos ajustamento de transição foram certamente divididos em Sujeitos a IRC e isentos de IRC. E lançados na conta 56
Agora vão sendo levados a gastos e rendimentos em 5 anos. Contabilisticamente não há mais nada a fazer a não ser após os 5 anois diluilos no resultado transitado, na Modelo 22 é que são registados em Variações Patrominiais Negativas ou positivas.
Os que são não sujeitos a IRC provocam ajustamento no Q07 da Mod 22, os outros não.
Esta é a parte da resposta errada, ela pressuponha uma rectificação contabilistica como gasto e um ajustamento na Mod 22. Nada disso, só os que são sujeitos a IRC é que são alterados na Mod 22 con referido anteiormente. Estes ficam na conta 56.
RECTIFICAÇÃO :
Esta resposta foi dada antes de haver algumas novidades, agora e após achamada de atenção de colega  a 2ª parte da resposta seria a que esta em italico
Advertisements